Redes sociais: Instagram ganha vídeo ao vivo

22/11/2016 0 0

Por G1

Após aderir à publicação de “fotos da vida real”, o Instagram coloca de lado as imagens trabalhadas nos filtros Ludwig e Lo-Fi para fazer os usuários mostrarem aos seus amigos/seguidores tudo o que está acontecendo ao vivo. O aplicativo liberou na segunda-feira (21/11) as transmissões em vídeo, além do envio por mensagem de vídeos e fotos que somem.

Liberados para Android e iOS, os vídeos ao vivo devem chegar a todos os usuários nas próximas semanas. Farão parte do “modo história”, incluídos no aplicativo em agosto deste ano. A modalidade permitia até agora o compartilhamento de fotos e vídeos gravados, que ficavam no ar por 24 horas.

Se com o “modo história” o Instagram atingia em cheio um dos trunfos do Snapchat, com as transmissões ao vivo a rede social passa a figurar como concorrente do Facebook, sua empresa-mãe, na hora em que o usuário pensar em vídeos em tempo real.

1

Facebook no ar
Só que, diferentemente do Facebook, no Instagram não tem replay. O “live” é ainda mais efêmero que as fotos e os vídeos publicados no “história”. Podem ser visto enquanto durar a transmissão e só.

Essa é a principal diferença para o “live” do Facebook, que entrou no ar em agosto de 2015. Na rede social, os vídeos ao vivo também podem ser vistos depois da transmissão. No replay, as interações dos usuários (como comentários, “curtidas” e “reações”) são mostradas no momento em que ocorreram originalmente. Presente no Facebook, a possibilidade de incluir máscaras, filtros para alterar a cor da imagem e desenhos não existe no Instagram.

Assim como no Facebook, os vídeos ao vivo no Instagram poderão ser comentados e “curtidos” em tempo real. Os autores dos vídeos também podem bloquear usuários  inconvenientes. No Instagram, os vídeos ao vivo serão posicionados no topo do aplicativo, ao lado de outras “histórias”; outras transmissões de destaque serão mostradas na sessão “Explorar”, com posts populares. Segundo Shilpa Sarkar, gerente de vídeo no Instagram, não vai haver competição: “Usam Instagram e Facebook para coisas muito diferentes”.

Desaparecendo
Para Shilpa, o “live” é um crescimento natural para o aplicativo, dado o sucesso do recurso que o antecedeu. Implantado há três meses, o “modo história” já é usado por 100 milhões de pessoas por mês. “Os vídeos no Instagram explodiram no ano anterior”, comenta.

O Instagram libera também o envio pelo bate-papo nativo, o “direct”, de fotos e vídeos que desaparecem assim que os contatos os veem. O autor é avisado quando esses conteúdos são visualizados novamente ou quando amigos fazem cópia deles. Essa forma privada de troca de mensagem só pode ocorrer entre contatos que se seguem.

Assim como o “modo história”, essa forma de bate-papo que some, ainda que limitado a fotos e vídeos, segue o conceito explorado pelo Snapchat desde o seu nascimento.

Quer utilizar o recurso na sua Paróquia?  Confira algumas dicas no artigo de Sérgio Fernandes

Transmissões de vídeo e áudio ficaram mais fáceis com as novas tecnologias

Comentar

INOVAÇÃO, CRIATIVIDADE E PROFISSIONALISMO A SERVIÇO DA IGREJA NO BRASIL! ~ DESDE 2007